7, jan, 2019

Varizes e pílula anticoncepcional: qual a relação?

Elas se parecem com pequenas teias de aranha e começam clarinhas e discretas. Com o tempo, as varizes podem se espalhar e se sobressair, causando desconfortos físicos e estéticos, principalmente nas pernas e pés. É comum associar o uso de pílulas anticoncepcionais à causa das varizes. Mas será que o tratamento contraceptivo com pílulas influencia o surgimento dessas desagradáveis veias? A seguir, tiramos as principais dúvidas sobre o assunto.

O que são varizes?

As varizes, para quem não sabe, são veias dilatadas e alongadas, que diminuem sua função de retornar o sangue pobre em oxigênio para o coração. As veias normais têm pequenas válvulas que se abrem para a passagem do sangue e se fecham para impedir o seu retorno.

Esse processo natural de circulação, com o tempo, pode ficar prejudicado por diversos fatores, o principal deles é o genético, que por simples predisposição pode provocar uma diminuição da resistência das paredes das veias. Outro fator importante é o hormonal.

Varizes e o anticoncepcional

Os anticoncepcionais são geralmente combinados de dois hormônios, o etinilestradiol (estrogênio) e os progestágenos (progesterona). Na mulher, por exemplo, o quadro de varizes pode estar associado a alterações de hormônios, como o estrogênio, independente do uso da pílula. Já a progesterona favorece a vasodilatação, o que contribui também para um avanço do quadro. Entretanto, as pílulas contraceptivas do mercado estão cada vez mais modernas e com dosagens bem baixas de hormônios, o que garante efeitos colaterais e riscos mínimos. Sendo assim, é mais provável associar o uso de pílulas contraceptivas às varizes quando há mais fatores de risco envolvidos, como a predisposição genética, aumento de peso, sedentarismo e até a própria gravidez.  

>> A gravidez também é uma condição que ajuda a agravar as varizes, pois o ganho repentino de peso, a retenção de líquidos, a variação hormonal e o feto comprimindo as veias podem sobrecarregar a circulação dos membros inferiores. Quanto maior o número de gestações, maiores serão os problemas com a circulação.

Orientar-se com o angiologista para prevenir o agravamento das varizes durante a gravidez ajuda muito a gestante.

Avaliação do seu quadro de saúde

Se você tem dúvidas se deve ou não tomar pílula anticoncepcional, é importante não associar múltiplas situações que aumentem a probabilidade de ocorrência de varizes. Por exemplo, se na sua família tem alguém que sofre do problema, é melhor pensar com cuidado. Mulheres fumantes, sedentárias, obesas ou que trabalham na mesma posição durantes horas (sentadas ou em pé) devem optar por outras formas de evitar a gravidez sempre que possível.

Se você não se encaixa nessas condições, o uso contínuo da pílula pode não alterar tanto a ocorrência ou a evolução das varizes. Para melhor orientação, consulte um médico especialista da área (ginecologista), que vai indicar o melhor método de acordo com o seu quadro de saúde.

Agora, se você já sofre com varizes, também temos boas notícias. Hoje, é possível combinar tratamentos para tratar das veias sem a necessidade de cirurgia. Tudo muito seguro e rápido para o paciente, embora exija especialização do angiologista. Vamos bater um papo? Nosso WhatsApp: (31) 99979-4546.

Compartilhe:
Comentários: